Teste Drive do Sexo

0
136

Para algumas pessoas às coisas mais loucas que aconteceram em suas vidas foram ficar bêbados em uma balada e fazer merda ou fazer sexo no carro em uma estrada vazia. Mas sabe qual foi a coisa mais louca que aconteceu na minha vida? Ser convidada para participar de um filme pornô.

Estava um dia de bobeira num aplicativo de conversas, quando um boy magia brotou na minha conversa me fazendo uma proposta mega indecente e tentadora. Ele me ofereceu para gravar um pequeno filme pornô com ele e como pagamento eu receberia noventa mil reais! Eu fiquei receosa e disse que era uma péssima ideia, que poderíamos não ter química na cama. Resumindo, eu inventei mil e uma desculpas que foram inúteis e no final ele me convenceu a fazer um teste drive do sexo com ele.

Se era perigoso? Óbvio! Mas era tão tentadora sua proposta.

Sou tirada de meus pensamentos com dedos macios subindo por baixo do meu vestido, Otávio sorriu safado quando constatou o quão molhada eu estava. No letreiro em neon se lia Flow Motel, este era o motel mais famoso e luxuoso da cidade em que morava.

Após fazermos o check-in fomos até nossa suíte, Otávio guardou o carro na garagem enquanto eu subia o pequeno lances de escadas que levava até o quarto. Ao abrir a porta de madeira me deparei com um quarto imenso todo preto com uma cama king size no meio e um painel vinho atrás dela, na parede esquerda havia uma pequena escada que levava até uma banheira de hidromassagem e um chuveiro, na outra extremidade do quarto havia uma mesa para duas pessoas que estava posta com uma garrafa de champanhe e duas taças de cristal.

— O que você achou? – perguntou Otávio atrás de mim enquanto beijava meu pescoço. — Bonito? – assenti e ele riu. — Vindo de você, eu esperava uma opinião um pouco mais…

— Intensa? – murmurei e me virei para ele que sorriu. — Não estou aqui para encher-lhe de elogios querido – falei passando as unhas em seu maxilar.

— Então vamos logo ao que interessa – sorriu cafajeste me puxando pela cintura envolvendo nossos lábios em um beijo carregado de luxúria.

Sem que eu percebesse ele deslizou o feixe do meu vestido fazendo-o cair aos meus pés. Ele é ágil e esperto. Adorei!

Seus lábios desceram pelos meus seios os beijando por cima do bojo rendado deslizando por minha barriga, quando achei que ele iria me beijar ali onde eu tanto ansiava ele me jogou em seus ombros me carregando até a beira da cama onde me colocou sentada. Ajoelhado entre minhas pernas Otávio rasgou minha calcinha pegando-me de surpresa, ele elevou alguns centímetros meu quadril deixando-me completamente exposta e aberta para seu deleite, sua língua grossa e quente deslizou entre meus lábios até meu ânus onde deslizou a língua suavemente fazendo-me contrair em surpresa. Eu nunca havia recebido um beijo grego e sinceramente eu estava encabulada com a sensação desconcertante porém intrigante e gostosa.

Sua língua deslizava em forma circular em meu ponto sensível me fazendo lamúriar baixinho em adoração, um dedo invadiu minha parte traseira estimulando-a em um delicioso vai e vem, sem que eu percebesse passei a ondular meu quadril contra sua mão aumentando a intensidade dos movimentos. Suas mãos agarraram meu quadril com força esfregando minha intimidade contra sua boca causando uma fricção que me fez gritar me desmanchando em um orgasmo. Otávio introduziu um plug anal de metal em meu ânus brincando com ele, acertando um tapa em meu traseiro com força.

— Agora eu vou meter bem gostoso nessa sua buceta linda e gostosa!

Ele se ajoelhou entre minhas pernas esfregando seu pau em meus lábios encharcados de tesão, aos poucos foi introduzindo seu membro em minha intimidade fazendo-me torcer os lençóis em prazer. Seus olhos estavam fixos em mim enquanto ele arremetia com força, suas mãos estavam em meus seios os apertando com uma certa força causando uma dorzinha deliciosa.

Otávio mudou nossas posições me virando e me colocando de quatro em cima de cama, com uma mão prendeu meus braços atrás do corpo e com a outra segurou minha cintura metendo com força. Eu gemia complementamente entorpecida pelo prazer arrebatador que estava recebendo, em vinte e dois anos eu nunca havia experimentado algo parecido com isso. Seus dedos experientes massageavam meu clitóris fazendo-me colar as costas contra seu peitoral em busca de apoio, minhas pernas haviam virado gelatina completamente incapazes de me sustentar tamanho era a intensidade do meu prazer.

— Oh Otávio, por favor! – roguei me movimentando em seu colo completamente entorpecida arrancando um gemido rouco.

Com as minhas costas colada em seu peitoral ele nos levantou do colchão, suas mãos estavam embaixo das dobras do meu joelho me sustentando conforme ele me descia e subia em seu pau. Naquela posição seu membro entrava fundo em mim, me fazendo delirar ainda mais de prazer se é que isso era possível. O tesão que essa posição proporcionava foi uma das melhores sensações que eu já experimentei, até que eu gozei, me levando à um orgasmo forte e intenso como eu nunca tinha tido antes.

Eu não tinha mais dúvidas eu e Otávio tínhamos muita química na cama, agora só cabia a mim tomar minha decisão sobre sua proposta.

Otávio retirou o plug e me colocou sentada na cadeira ajoelhando-se em minha frente, suas mãos subiam massageando minha pernas e coxas ao passo que distribuía beijos ao redor de minha vulva, seu polegar massageava delicadamente meu clitóris enquanto seus lábios sugavam minha entrada, suas mãos agora passeavam livremente pelo meu corpo. Meu quadril ondulava contra sua boca em um ritmo arrebatador, meus gemidos eram quase gritos de prazer.

Otávio estava disposto a me proporcionar outro orgasmo e não poupava esforços para realizar tal façanha, eu sentia mil e uma emoções naquele momento. Meu coração batia freneticamente em meu peito, meu corpo vibrava em êxtase e sem que eu pudesse controlar um grito abafado escapou de meus lábios enquanto eu me desmanchava nos lábios daquele homem moreno que estava ajoelhado diante de mim.

— Então como foi nosso teste drive do sexo? – falou me dando um sorriso que puta merda me deixou molhada novamente.

— Incrível! Eu topo gravar o filme pornô – falei sorrindo amplamente.